sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã...


Temos de aprender a viver todos como irmãos ou morreremos todos como loucos.


Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira.O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos.Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos.



Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.


O que mais me impressiona


O que mais me impressiona nos fracos é que eles precisam humilhar os outros, para sentirem-se fortes.




A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência.” 

(Mahatma Gandhi)

Quando me amei de verdade



“Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo o que não fosse saudável, pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse pra baixo, de inicio minha razão chamou essa atitude de egoísmo, hoje sei que se chama amor próprio.” 

(Charlie Chaplin)

Então você trabalha 40 anos ...

A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina.
 Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está de trás pra frete. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser
chutado pra fora de lá por estar muito novo.
 Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar.
Então você trabalha 40 anos até ficar novo pra poder aproveitar a aposentadoria.
 Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade. 
Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho no colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando…
E termina tudo com um ótimo orgasmo. Não seria perfeito?
Charles Chaplin